José Tadeu França é, certamente, um grande homem. Não apenas pelos seus quase dois metros de altura, que se destacam na multidão, mas pelas realizações ao longo dos 71 anos de vida – tanto que já recebeu, em 2015, o Brasão de Maringá e o Título de Mérito Comunitário. Dois anos depois, volta a ser homenageado na Câmara, desta vez, como Cidadão Benemérito. A entrega será em uma sessão solene, hoje, às 19h.

Há quem o conheça como professor – profissão que o trouxe a Maringá, em 1974 – e também quem se lembre dele como político – seja aquele morador e vereador que ajudou a melhorar as condições do recém-formado Jardim Alvorada ou o deputado que participou da Assembleia Nacional Constituinte, que deu origem à Constituição Federal de 1988.

A atuação do ex-professor de Letras da Universidade Estadual de Maringá (UEM) é bem reconhecida na cidade, segundo o vereador Onivaldo Barris, que propôs a entrega do título. "Quando eu propus a honraria [na Câmara], o nome dele foi aceito por unanimidade, muitos até pediram para discursar no dia. Ele tem um vasto currículo, passagem pela política, mas, sobretudo, eu homenageio o professor José Tadeu, porque tudo o que se desenvolveu depois veio na esteira da figura de professor", diz o vereador Onivaldo Barris (PHS).

O proponente do título também cita que, embora França já tenha recebido o Mérito Comunitário e o Brasão de Maringá, essa homenagem tem um valor diferente. "O Mérito é por um ato localizado, um feito e esse [o título de Cidadão Benemérito] é pela história completa de trabalho e seus feitos gerais para o município", explica.

"É uma justa homenagem. Ele é um cidadão da mais alta qualidade, é um abnegado colaborador em várias entidades, imortal da Academia Maringaense de Letras. É grande em tamanho, na paciência, na calma e nos feitos", descreve.

 

Arquivo/ CMM
França já recebeu, em 2015 (foto), o título de Mérito Comunitário e o Brasão do Município

 

Participe e comente