O Instituto de Pesos e Medidas do Paraná (Ipem) - regional Maringá realizou, no período da manhã desta sexta-feira (10), uma fiscalização de tacógrafos em veículos de transportes de cargas na cidade. E o resultado faz soar um sinalde alerta. Em 18 veículos, do total de 42 abordados, foram constatados irregularidades, sendo que o tacógrafo de oito estavam vencidos e de dez nunca passaram por ensaio metrológico - obrigatório a cada dois anos.

"O índice de reprovação, que foi de 42,8%, é muito superior ao índice médio verificado nas ações em rodovias, que gira entre 8 e 12%", destaca o gerente regional do Ipem, Michel Ângelo Ravazi Tavares. "Por isso, vamos intensificar a fiscalização no perímetro urbano, mantendo as ações rotineiras nas estradas".

O Ipem emitiu termos de ocorrências, que geram notificação de autuação. As penalidades previstas são desde advertência e multa de R$ 100 até R$ 1,5 milhão, dependendo do caso. Nenhum veículo foi apreendido.

A ação em Maringá, que se repete em todo o Estado, foi acompanhado pelo presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) do Paraná, Emerson Rossetti.

Questão de segurança

O tacógrafo é considerado uma "caixa preta" do veículo, que registra informações como velocidade desenvolvida, distância percorrida, o tempo de direção e de paradas.

A aferição do tacógrafo para veículos de transporte de cargas em geral deve ser feita a cada dois anos, nos postos credenciados pelo Ipem, que são oito na regional de Maringá (disponível no site do www.ipem.pr.gov.br).

"É um equipamento vital e a sua aferição regular é uma questão de segurança do transporte e de preservação de vidas, tanto que é obrigatório", ressalta Michel Tavares.

Participe e comente