O ano letivo das crianças da rede municipal de ensino que serão atendidas provisoriamente em instituições privadas deve começar só em março - com mais de um mês de atraso. As aulas da educação infantil do município começam no dia 7 de fevereiro, mas como o edital para credenciamento das escolas particulares interessadas em ceder vagas foi revogado em dezembro e republicado só ontem (9) pela Prefeitura de Maringá, o processo atrasou.

As escolas particulares interessadas têm até o dia 5 de fevereiro para fazer a entrega de documentos. A prefeitura tem 15 para analisar e mais 45 para fazer visitas técnicas nas instituições que se cadastraram. "Pretendemos ser bastante céleres em relação a esse processo. Acredito que as crianças estejam matriculadas até o início de março", explica a Secretária de Educação, Valkíria Trindade.

Por enquanto, os pais precisarão contar com a ajuda de familiares no período em que estiverem trabalhando. "Infelizmente, vai ter esse período ao qual pedimos a compreensão dos munícipes. Pedimos que solicitem apoio à rede familiar para que fiquem com as crianças, considerando que esse ajuste foi necessário principalmente para contemplar um número maior de escolas", ressalta.

Segundo ela, não haverá prejuízo pedagógico para as crianças. "São crianças na faixa de 0 a 3 anos, é educação infantil, então temos como reverter isso. O prejuízo maior é para os pais, que terão que aguardar um pouquinho mais", acrescenta Trindade.

Atraso

O edital lançado no ano passado foi suspenso por 15 dias em novembro para passar por adequações. Segundo a administração, seria necessário "flexibilizá-lo", para que mais instituições pudessem participar. Em dezembro, ele acabou sendo revogado porque foi necessário aumentar o valor. A prefeitura, que previa pagar R$ 1 mil/mês por criança - R$ 22 milhões ao ano -, concluiu que a quantia não seria suficiente.

No novo edital publicado ontem (9), o Executivo pretende pagar até R$ 30.906.960,00 ao ano para atender duas mil crianças de de 0 a 03 anos e 11 meses, o que corresponde a uma parcela mensal de R$ 1.287,79 por criança. As escolas irão atender onze horas diárias - das 7h às 18h. Atualmente, a fila de espera para vagas em creches na rede municipal de ensino é de cerca de 5,5 mil crianças.

De acordo com a Secretária de Educação, o edital foi modificado para atender um valor de mercado. "O valor de R$ 1 mil levava em consideração o custo do aluno municipal, e essa alteração foi para contemplar o custo do aluno na rede privada. Agora, também inclui o atendimento no início de janeiro (15 dias), e o meio de julho, igual o município tem. Além disso, a escola particular vai oferecer um pacote de serviços: uniforme, quatro alimentações diárias, kit escolar, além de lenços umedecidos, pomadas e fórmula preparada", ressalta.

A compra de vagas na rede privada de ensino atende à uma determinação da Justiça.

Conforme consta no edital, o principal critério da Prefeitura de Maringá para seleção das duas mil crianças que serão atendidas prontamente é o da hipossuficiência, ou seja, famílias cadastradas no programa "Bolsa Família", que recebem até quatro salários-mínimos e residem em Maringá.

Participe e comente