A Polícia Rodoviária Federal - unidade operacional de Mandaguari - registrou 562 acidentes na BR-376, entre os km 149 e 215 (Presidente Castelo Branco até Jandaia do Sul), em todo o ano passado. Destes, a maior parte, 320 acidentes, ocorreu na Avenida Colombo, entre os km 170 e 182, considerado um dos trechos urbanos mais perigosos do Brasil.

Percentualmente, esse trecho de 12 quilômetros concentra 56,9% dos acidentes, enquanto os demais 54 quilômetros, 43,1% dos casos. "A maioria dos trechos entre Castelo Branco e Jandaia do Sul, com exceção de Maringá (Avenida Colombo), tem característica de rodovia, com fluxo maior de carros. Em Maringá, no perímetro urbano, há um aumento de motocicletas. Infelizmente, a grande maioria dos acidentes registrados pela PRF envolvem motociclistas", comenta o inspetor Pedro Farias, da PRF.

Apesar disso, o balanço divulgado pela polícia rodoviária, nesta quinta-feira (10), traz dados positivos. Houve uma redução de 7,24% no número de acidentes no perímetro urbano da BR-376, em Maringá, comparado ao ano passado, quando 345 ocorrências foram atendidas pela PRF. Também caiu 9,03% o número de feridos leves (de 310 em 2017 para 282 em 2018), bem como o de feridos graves, 16% (de 75 em 2017 para 63 em 2018). Destaque para a redução de mortes: 2 casos em 2018 ante 5 em 2017 (-60%). São considerados apenas as ocorrências de morte no local do acidente - não entram os óbitos computados a caminho do hospital ou no hospital de acidentados.

Geral

No cômputo geral, também caíram os números de acidentes com e sem vítimas do km 149 a 215, entre Presidente Castelo Branco e Jandaia do Sul, considerando o trecho urbano de Maringá. No total, foram 562 acidentes em 2018 ante 623 em 2017 (-9,79%), e redução de 5,85% no índice de feridos (666 em 2017 para 627 em 2018). Porém, subiu em 22,22% o número de acidentes com mortos. No ano passado, foram 23 vítimas fatais.

"Apesar de reduções em alguns índices, temos a consciência de que não há o que comemorar, pois há muito o que fazer. A PRF intensificou suas ações focadas nas condutas com gravidade ao trânsito, porém, fundamental haver conscientização e mais humanização por parte de todos os envolvidos, condutores, motociclistas, ciclistas,  pedestres e a sociedade em geral."

Fiscalização

Entre as ações reforçadas pela PRF estão as fiscalizações. No dia 14 de dezembro, em apenas duas horas de operação com radares, foram registrados 312 veículos trafegando acima da velocidade permitida, no km 175 da Avenida Colombo, entre a Paraná e a Mandacaru. Uma moto foi autuada a 100 km/h - 40% acima da velocidade máxima de 60 km/h.

Além disso, a PRF deflagrou em dezembro a Operação Rodovidas, que segue até o dia 10 de março e tem como objetivo reduzir os índices de acidentes e óbitos nas rodovias federais. Em Maringá, as ações são integradas e desenvolvidas em conjunto com a Polícia Militar, Guarda Municipal e Secretaria de Mobilidade Urbana, com foco na Avenida Colombo.

"A segurança viária necessita de vários fatores, como engenharia adequada, veículos em condições de trafegabilidade, condutores aptos e fiscalizações adequadas, dentre outros.
Porém, nada há de mais importante, senão, o comportamento defensivo de cada condutor", finaliza o inspetor.

 

(Foto: PRF)

Participe e comente