O Ministério Público do Paraná (MP-PR) pediu, nesta terça-feira (4), a cassação da prefeita reeleita de Campina da Lagoa (a 196km de Maringá), Célia Cabrera de Paula, e do vice, Mozart Antonio Pereira. Os dois são acusado de compra de votos e abuso do poder econômico.

O pedido de cassação foi feito com base em uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) contra a prefeita e o vice. No dia 30 de novembro, o promotor de Justiça, Marcelo Augusto Ribeiro, requereu à Justiça o reconhecimento da captação ilícita de votos por parte dos investigados, nos termos da Lei 9.504/97, culminando com a condenação ao pagamento de multa e cassação dos registros de candidatura, porque os eleitos ainda não foram diplomados.

De acordo com a Promotoria, ao longo da campanha eleitoral deste ano, a prefeita e candidata à reeleição teria pessoalmente determinado a terceiro que entregasse a uma eleitora a quantia de R$ 200,00, em dinheiro, para que votasse nela. A AIJE relaciona ainda vários outros fatos ilícitos que embasaram o parecer do MP-PR.

O MP-PR também requereu a condenação de Célia e Pereira por abuso de poder econômico, inelegibilidade para a eleição na qual concorreram, bem como para as que se realizarem nos oito anos seguintes.


Participe e comente