A imagem de uma idosa com uma tala de papelão circulou pelas redes sociais, provocando indignação na população de Sarandi. "Nem em um animal se faz uma atadura dessa", comentou um internauta nesta segunda-feira (8).

Maria Aparecida Marques Nunes, de 68 anos, foi levada até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Gustavo Farias, no Jardim Castelo, em Sarandi, nesse domingo (7), após escorregar e cair dentro de casa.

De acordo com o filho da idosa, Juliedis Nunes, na UPA foi feito raio-X e constatada a fratura. Uma tala de papelão foi improvisada e a idosa foi encaminhada para o Hospital Universitário (HU) de Maringá, já que não havia vaga no Hospital Metropolitano de Sarandi.

"Quando eu fui buscar ela achei estranha aquela tala de papelão. Isso aí só se usa em caso de emergência, até mesmo em casa, agora numa unidade de saúde é estranho", criticou Nunes.

A diretora de urgência e emergência da UPA, Nair Mara Silva, disse que o local não tem setor de ortopedia, por isso a encaminhou para um hospital de referência. "É um procedimento comum [colocar a tala de papelão]. Não temos gesso e fizemos uma imobilização simples para diminuir a dor. É provisório, só até ela ser engessada", disse.

Nair explica que cidades com menos de 100 mil habitantes têm UPAs de porte 1, que não possuem setor de ortopedia. Ao receber pacientes que precisam ser imobilizados com gesso, eles são encaminhados para o hospital de referência.

De acordo com o filho da idosa, ela continua internada no HU e vai passar por cirurgia.

Foto: Reprodução/Facebook


Participe e comente