Mais de 100 anos de história arquitetônica e um pouco da evolução dos prédios escolares do Estado. Este é o registro do livro “A arquitetura das escolas públicas do Paraná: 1853 a 1955”, da arquiteta e urbanista paranaense Elizabeth Amorim de Castro, lançado nesta terça-feira (12) no Museu da Escola Paranaense, em Curitiba.

São 246 prédios analisados em cerca de 300 páginas com apresentação das soluções espaciais e técnicas construtivas usadas em cada época. A obra foi escrita em uma linguagem acessível para todos os públicos.

“É um registro de como a escola evoluiu ao longo do tempo e como o espaço respondeu ao processo de construção do Estado, começando pelo Litoral, passando pela região de Curitiba e Lapa, indo para o Oeste”, explicou Elizabeth.

O livro é resultado de cinco anos de pesquisa para a tese de doutorado da autora, que é professora de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal o Paraná (UFPR). “A partir do momento em que estudamos a arquitetura das escolas contribuímos para o entendimento do processo educacional no Paraná. Como olhar esses edifícios escolares e buscar a preservação desses espaços”, disse.

O coordenador do Museu da Escola Paranaense, Cláudio Ogliari, destacou que a obra está relacionada aos projetos desenvolvidos pelo museu para resgatar e preservar a história e memória das escolas da rede estadual de ensino. “É um trabalho que vem ao encontro da proposta do museu de conhecer e resgatar a memória escolar por meio da arquitetura, retratando a evolução desses espaços ao longo dos anos e mostrando como e porque eram construídos daquela maneira”, disse Ogliari.

Participe e comente