Dos 251 trabalhos inscritos no projeto Educação Permanente em Saúde, promovido pelo Laboratório de Inovação em Educação na Saúde, apenas 15 participaram da cerimônia de reconhecimento, realizada quarta-feira (25), no Rio de Janeiro. Uma experiência realizada em parceria pela Secretaria de Estado da Saúde e a Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi certificada no evento.

Todos os trabalhos foram analisados em etapas pela Comissão de Avaliação, composta por representantes da Organização Pan-Americana da Saúde e Ministério da Saúde. As 31 práticas selecionadas na segunda etapa receberam a visita in loco dos representantes da comissão e, após isso, foram selecionados os 15 projetos finalistas.

CERTIFICADO - O trabalho do Paraná “Empoderamento de lideranças por meio da educação profissional para estimular processos de mudança na atenção odontológica” foi um dos certificados.

Realizado em Maringá, no Noroeste do Estado, é um estudo referente ao processo de Qualificação da Gestão do Sistema Único de Saúde em Saúde Bucal, oferecendo suporte e capacitação para os profissionais e equipes da saúde.

A coordenadora estadual da Rede de Saúde Bucal, Érika Feller, comenta que não é apenas um projeto de capacitação, mas de Tutoria da Saúde Bucal. “Queremos expandir as práticas de prevenção, promoção e estratificação de risco. Para isso, é importante a confluência e harmonia do trabalho intersetorial”, diz Feller.

Até o momento, foram realizados quatro ciclos de capacitação para coordenadores de saúde bucal das Regionais de Saúde do Paraná, coordenadores municipais de saúde bucal, equipes de saúde bucal e equipes multiprofissionais. O 5º ciclo inicia em 2019 e contará com a participação dos Conselhos de Saúde e comunidade.

Participe e comente