Na primeira declaração como governador eleito, Ratinho Júnior (PSD) disse que seu compromisso "é fazer com que o Paraná seja o Estado mais moderno do Brasil". Na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), em Curitiba, no domingo, ele considerou também que as urnas revelaram "uma mudança de conceito" por parte do eleitor. "Vou resgatar a confiança da política no Brasil pelo Paraná", prometeu.

Ratinho Júnior foi eleito no primeiro turno com 3.210.712 votos, o equivalente a 59,99% da preferência do eleitorado. As pesquisas eleitorais já apontavam a vitória dele contra a atual governadora e então candidata à reeleição, Cida Borghetti (PP) que era a segunda colocada nas pesquisas. Ela obteve 831.361 votos, o equivalente a 15,53%.

No plano de governo apresentado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ratinho Júnior destacou que a palavra de ordem é a "mudança". Um de suas propostas é a redução do número de secretarias. Na área de segurança, afirma que pretende contratar mais policiais, que haverá um planejamento periódico para repor o efetivo, além de usar a tecnologia no combate à criminalidade. Neste contexto, ele pretende criar a Cidade da Polícia, um projeto que pretende integrar as forças de segurança, como polícia rodoviária estadual, polícia civil e militar, guardas municipais entre outros.

Sobre as relações políticas, o governador eleito diz que é preciso estar presente em Brasília para garantir mais recursos federais ao Estado. Ele afirmou também que pretende se reunir com freqüência com os senadores eleitos pelo Paraná, Oriovisto Guimarães (Podemos) e Flávio Arns (Rede). "São pessoas íntegras e sérias, mas, acima de tudo, apaixonadas pelo Paraná e vão fortalecer o relacionamento em Brasília. Há muito tempo, os senadores não colaboravam entre si", declarou Ratinho.

Ele afirmou ainda que, no segundo turno da eleição para presidente, vai apoiar Jair Bolsonaro (PSL) contra Fernando Haddad (PT).

Começo

Filho do apresentador de televisão Ratinho, o eleito Ratinho Júnior (PSD), 37 anos, venceu no primeiro turno sem se envolver em controvérsias. Mesmo tendo trabalhado para o governo do PSDB, que é denunciado por irregularidades, ele conseguiu ser eleito como o governador mais jovem do Estado. Ele foi secretário de Desenvolvimento Urbano da gestão Richa (2013-2014 e 2014-2017) e, nesta função, era responsável pela liberação de recursos estaduais para os municípios.

Entre os desafios para o novo governador, estão os recursos do Estado. Para o ano que vem a previsão de receitas é de R$ 55,4 bilhões e a de despesas é de R$ 54,3 bilhões, uma diferença muito pequena entre entrada e saída de recursos.


VERBAS. Ratinho Júnior (PSD), governador eleito do Paraná, diz que é preciso estar presente em Brasília para garantir mais recursos federais ao Estado. —RODRIGO FÉLIX LEAL

Participe e comente