Considerando as manifestações públicas que têm sido veiculadas em redes sociais sobre falhas das urnas eletrônicas, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná TRE-PR) emitiu uma nota oficial em que esclarece:

"Falhas técnicas das urnas eletrônicas ensejam, como procedimento padrão, sua substituição por urnas de contingência, previamente preparadas, testadas e lacradas pela Justiça Eleitoral. Quanto ao apontamento específico manifestado por alguns eleitores de que a urna encerrou a votação sem que fosse possível confirmar o número do candidato a presidente digitado, a Justiça Eleitoral procederá a devida apuração e identificação de eventual falha na urna eletrônica, mas desde logo esclarece que os votos manifestados pelos eleitores, inclusive para presidente, foram computados e registrados nos respectivos Boletins de Urna, já disponíveis nos Cartórios Eleitorais, bem como na página da internet do TSE em até 3 dias após o encerramento da totalização em cada unidade da Federação (art. 236, Res.23.554/2017).

Nesse sentido, especificamente quanto à seção eleitoral nº 664 (Colégio Positivo Júnior), da 1ª Zona Eleitoral de Curitiba, em que houve o registro na Ata da Mesa Receptora de votos de 05 eleitores afirmando ter ocorrido esse problema, e que ensejou a impugnação da urna e publicação de vídeo com grande repercussão nas mídias sociais, constata-se do respectivo Boletim de Urna que foram computados para presidente todos os votos dos eleitores que compareceram à seção eleitoral, não havendo nenhum voto nulo registrado.
A apuração dos fatos já está sendo realizada pelo Tribunal.

A verificação de qualquer falha técnica que possa ocorrer nas urnas eletrônicas é interesse, não só dos eleitores, mas da Justiça Eleitoral, que trabalha sempre em busca da excelência na prestação de serviço para garantir a legitimidade do processo eleitoral."

Vídeo

O vídeo mencionado pelo TRE foi feito pelo deputado federal Fernando Francischini (PSL), o mais votado para a Assembleia Legislativa do Paraná nas eleições deste ano, que faz grave denúncia sobre o que ele chama de "duas urnas fraudadas ou adulteradas", que não computavam votos para o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) - conforme divulgado pelo site odiario.com, na sgunda-feira, 8.

Em vídeo publicado no Youtube, Francischini disse que o advogado do partido no Paraná, Gustavo Swain Kfouri localizou dois eleitores no Colégio Positivo Junior, na tarde de domingo, 7, em Curitiba, que afirmaram "não ter o voto confirmado para presidente". "Quando foram confirmar, apareceu na tela 'carregando' e depois some, desaparece. Confirmou os demais votos, só não para o Bolsonaro".


Participe e comente