Roneys Fon Firmino Gomes, o "Maníaco da Torre", irá para júri popular, ainda sem data definida. O pronunciamento de sentença foi emitido pela 2ª Vara Criminal de Maringá, no final do mês passado, dia 26 de julho, e segundo informações colhidas na própria Vara, o julgamento será marcado pela 1ª Vara Criminal, que ainda depende da agenda do departamento para marcar a audiência. O maior serial killer (do inglês assassino em série) de Maringá, com todas as vítimas mulheres, foi preso em julho de 2015, e chegou a confessar seis assassinatos, mas a polícia suspeita que o número pode passar de dez. No momento, ele está detido na Casa de Custódia do município.

O suspeito irá responder pela morte de Mara Josiane dos Santos, 36 anos, com qualificadoras, como ocultação de cadáver, motivo torpe, asfixia, dissimulação, recurso que dificultou a defesa da vítima e feminicídio. "Seus crimes são vários e percorrem outros cartórios do Fórum", informa a 2ª Vara Criminal.

O corpo da vítima foi localizado nua, deitada com a barriga para cima, mesma posição de outras vítimas, em uma plantação de milho, ao lado da Rodovia PR-317, saída de Maringá para Iguaraçu.

Mara não foi deixada sob as torres de energia, local que fica a menos de 5 km da propriedade rural em que foi localizada. Em depoimento, o acusado relatou que não a deixou sob as torres, porque havia movimentação de veículos nas proximidades.

Mas ele o trabalho de deixar um vestido, uma calcinha, uma bota e um cinto da vítima sob as torres.

Um caso não confessado por ele, é de Edinalva José da Paz, encontrada morta no dia 7 de dezembro de 2010, em que o Roneys também foi a júri popular no final de 2017.


ACUSADO. Roneys Fon Firmino Gomes é suspeito de matar mais de dez mulheres em Maringá. — RICARDO LOPES

Participe e comente