Há exatos um ano, o Partido NOVO estava recebendo a aprovação pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para ser 35º partido político no Brasil. Agora a sigla tem a missão de apresentar uma nova geração de candidatos para renovar a política brasileira. Diante do descrédito geral nos políticos e nos partidos tradicionais, o entusiasmo exibido pela turma do Novo é um fenômeno inusitado na história recente do país.

Fundado em fevereiro de 2011 por um grupo de 181 pessoas sem nenhum contato anterior com o mundo político, sob a liderança de João Dionísio Amoêdo, executivo com passagem pelo Citibank e Itaú BBA, o Novo está conquistando espaço e lançou candidato em 5 capitais: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre e São Paulo. No Rio de Janeiro, o Partido lançou a Professora e Consultora Carmen Migueles para ser candidata à Prefeitura. “O NOVO ainda tem muito a crescer, mas tem uma proposta efetivamente nova e diferente, com o objetivo de reduzir o tamanho do Estado”, afirma o economista Ricardo Amorim, da Ricam Consultoria e participante do programa Manhattan Connection.

Para ser candidato pela sigla, os selecionados tiveram que passar por um rigoroso processo seletivo que incluiu vídeo, prova online e entrevista presencial. Todos os aprovados nunca exerceram cargos políticos. São advogados, economistas, engenheiros, empresários, dentre outras profissões.

"O Novo representa o início de um movimento de transformação do Brasil em um país mais admirado, tendo como valores fundamentais a valorização do indivíduo e a eficiência e transparência na vida pública”, observa Júlio Azevedo, Advogado e candidato a Vereador pela sigla no Rio de Janeiro. "A gente via tantos problemas na gestão pública e queria participar, tentar melhorar a vida do cidadão. A carga tributária no Brasil é muito elevada. Os serviços públicos são ruins. Para melhorar isso, precisamos trazer novas lideranças que compreendam que o recurso do Estado é escasso e precisa ser melhor direcionado. Essa é a nossa missão nessa campanha”.

Apesar de ainda não possuir representantes, o Novo possui uma participação significativa nas redes sociais. No Facebook, a página do partido possui mais de 1 milhão e 240 mil curtidas. Agora, a expectativa do direção do partido é converter parte desses fãs em eleitores e eleger ao menos um representante em cada cidade.

Participe e comente