O consulado de São Paulo receberá 407 mil euros (R$ 1,58 milhão) e o de Porto Alegre, 381 mil euros (R$ 1,48 milhão). Este dinheiro será aplicado especificamente para a melhoria dos serviços oferecidos e redução das longas filas de espera para o reconhecimento da cidadania italiana. A decisão havia sido anunciada pelo ministro das Relações Exteriores da Itália, Angelino Alfano, e recentemente confirmada por dois diretores gerais do Ministério ao deputado Fabio Porta, presidente do Comitê para os Italianos no Mundo da Câmara dos Deputados.

São mais de 112 mil brasileiros na fila de espera. Apenas os inscritos no Consulado Geral da Itália em São Paulo ultrapassam 70 mil pessoas. A demora no atendimento, especialmente para o reconhecimento da cidadania italiana, é uma das principais reclamações dos ítalo-descendentes que vivem na América do Sul, segundo o senador Fausto Longo, ítalo-brasileiro que assumiu uma cadeira no Senado Italiano em 2013.

“Desde que iniciamos nosso mandato, participamos de mais de 500 encontros em toda a América do Sul, o que nos trouxe a oportunidade de estar em contato com diversos grupos e ouvir suas reivindicações. Nesse sentido, concentramos esforços na propositura de medidas que atendam às principais demandas das comunidades italianas no exterior. Por exemplo, apresentamos 13 Projetos de Leis, todos com ênfase na questão relacionada à cidadania e aos direitos do cidadão”, afirmou Longo, que também é membro do Comitê para as Questões dos Italianos no Exterior no Senado.

Em 2014, o Estado italiano passou a cobrar taxa de 300 euros por processo pelo serviço de reconhecimento da cidadania. Estes recursos, destinados ao governo italiano, deveriam ser restituídos em 30% para a melhoria dos próprios serviços consulares e consequente regularização do direito de cidadania aos oriundi. Porém, até o momento, não haviam sido efetivados pelo Executivo, embora aprovados na lei do orçamento anual pela Câmara dos Deputados e Senado Italiano.

A próxima transferência é referente aos valores de 2016 e do primeiro trimestre de 2017. “Temos uma realidade de milhões de ítalo-descendentes desejosos de serem reconhecidos como italianos. São pessoas que, mais do que vestir a camisa, trazem esta ligação no sangue. E, além disso, se caracterizam como alternativa de inserção mercadológica do ‘made in Italy’ em todo o mundo. É justo e digno este reconhecimento! Esta fila tem de acabar!”, defendeu o senador Longo.

Os valores serão destinados à contratação de pessoal, por exemplo, com o propósito de potencializar a rede consular. Para Longo, a conquista é resultado de muitas discussões no Parlamento. “Ao mesmo tempo em que essa notícia nos dá a sensação de missão cumprida, também nos motiva a continuar trabalhando de maneira consciente para deixar a Itália ao alcance de todos os ítalo-descendentes, sempre lhes lembrando da responsabilidade de ser cidadão italiano. Vamos em frente”, disse o senador.

Também serão contemplados com recursos, no âmbito do mesmo esforço dos parlamentares, consulados localizados na Argentina e Uruguai. Confira abaixo os valores destinados a cada representação diplomática.

Consulado Geral da Itália em:
São Paulo - 407 mil euros
Porto Alegre - 381 mil euros
Buenos Aires - 300 mil euros
Rosario - 197 mil euros
Montevideo - 167 mil euros

Participe e comente