O presidente Michel Temer anunciou nesta segunda-feira, 12, que criará um comitê para acompanhar a imigração venezuelana para Roraima. Segundo ele, será uma "coordenação federal em conjunto com o Estado". Além disso, Temer editará uma medida provisória até a próxima quinta-feira, 15, para ajudar o Estado e ressaltou que não faltarão recursos para isso. "Esse comitê será formado com coordenação nacional, que é fundamental, mas isso não significa que haverá interferência interna", afirmou.

Ele listou o fluxo de venezuelanos para Roraima como um dos principais problemas atuais, que, para o presidente, pode ter impacto também nos outros Estados do País. De acordo com Temer, a chegada de venezuelanos "traz dificuldade a Roraima". "Todos os recursos necessários serão usados para solucionar a questão dos venezuelanos", reforçou.

Segundo o presidente, é preciso "proteger a integralidade territorial e proteger os habitantes do Estado". Ainda de acordo com Temer, a governadora de Roraima, Suely Campos, mencionou que os venezuelanos estariam "tirando emprego de roraimenses".

Temer mencionou ainda que é preciso tratar a questão com um viés humanitário para garantir apoio aos imigrantes. "Muitos venezuelanos saem do seu país sem desejá-lo e vem para cá em situação de miserabilidade absoluta", avaliou.

Ele questionou se o País vai deixar os venezuelanos passar fome ou ficar sem assistência médica, por exemplo. Esses pontos cruciais seriam discutidos pelo comitê.

Participe e comente