No dia 1º de outubro celebra-se o Dia Nacional e Internacional do Idoso e, neste ano, o Ministério da Saúde divulgou os resultados de um estudo inédito sobre o perfil de envelhecimento da população brasileira. A pesquisa, que faz parte do Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil), traz informações sobre como a população está lidando com a terceira idade e quais as principais variáveis sociais e de saúde.

O intuito da pesquisa é levantar subsídios para o desenvolvimento e adequação de políticas públicas voltadas ao fortalecimento da saúde do idoso.

Maioria dos idosos dependem do SUS

O estudo indicou que 75,3% dos brasileiros na terceira idade dependem, em caráter de exclusividade, dos serviços realizados pelo SUS (Sistema Único de Saúde), sendo que desses, 83,1% compareceram, ao menos, a uma consulta médica nos últimos doze meses. Nesse mesmo período fora identificado também que 10,2% dos idosos tiveram que ser hospitalizados (uma vez ou mais).

Mais dados revelaram que, aproximadamente, 30% dos idosos possuem duas ou mais doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, por exemplo, e 40% apresentam uma. Ou seja, praticamente, 70% dos idosos sofrem de alguma patologia que não tem cura.

O estudo também indicou que 85% das pessoas com 50 anos ou mais vivem em áreas urbanas, sendo que 43% dos idosos ouvidos pela pesquisa relataram ter medo de cair na rua.

Tendo isso em vista, é preciso cuidar do bem-estar e da saúde dos brasileiros desde a infância para que todos tenham um desenvolvimento e uma vida mais saudável. Para tal, é necessário voltar todas as ações para a promoção de atividades físicas, de uma alimentação mais saudável, além de combater o consumo de álcool e tabaco, além de oferecer exames preventivos para diagnosticar doenças de forma cada vez mais precoce.

Saúde do idoso

Os idosos representam 14,3% da população brasileira atualmente, ou seja, são mais de 29 milhões de pessoas. Estima-se que, em 2030, o número de pessoas na terceira idade supere o de crianças e adolescentes (até os quatorze anos).

Nos últimos 70 anos, a expectativa do brasileiro subiu para 30 anos, saindo de 45,4 anos (em 1940) para 75,4 anos, em média (em 2015). O envelhecimento da população, ainda que seja um saldo positivo para a humanidade (uma vez que as pessoas estão vivendo mais), tem impacto sobre a saúde e mostra o quão importante é voltar todas as atenções para a oferta de cuidados longitudinais.

Boa parte da população idosa sofre com doenças crônicas não transmissíveis. De acordo com estudos anteriores divulgados pelo Ministério da Saúde, 18,7% dos idosos são obesos, 25,1% têm diabetes, 57,1% têm hipertensão e 66,8% sofrem com o excesso de peso. Tais patologias também são a causa de mais de 70% das mortes no país.

O câncer de mama é outro fator de risco que afeta idosas em todo o país, por isso é fundamental que todas as mulheres façam os exames de prevenção sempre que o médico indicar.

Conheça o Doutor Guilherme Novita Garcia e sua luta contra o Câncer de Mama

O Doutor Guilherme Novita Garcia é um médico renomado que desenvolve projetos a fim de levar às pessoas o conhecimento necessário a respeito do câncer de mama, uma doença que ataca milhares de mulheres no Brasil e no mundo.

Navegue pelo site para saber mais informações sobre o mastologista Dr. Guilherme Novita Garcia.

Website: https://guilhermenovitagarcia.wordpress.com

Participe e comente