Um dos motivos que explica o sucesso da Netflix, é o catálogo de filmes disponíveis a qualquer tela com acesso à Internet e a facilidade de assistir quando, onde e como quiser por um valor mensal de baixo custo.

Com a popularização da Nuvem Digital, câmeras de segurança podem ser conectadas através da internet gravando e disponibilizando acesso ao vivo das imagens sem limite de espaço ou número de acessos simultâneos. Contudo, traz o benefício do baixo custo de implantação, basta escolher seu plano de armazenamento em Nuvem.

Um dos modelos em constante crescimento é o compartilhamento das imagens de câmeras de segurança, com foco nas áreas externas (ruas), compartilhadas entre, residências, comércio e condomínios. Um cuidando do outro! É um conceito conhecido como VSaaS (Video Surveillance as a Service), algo como "vídeo de vigilância como serviço".

O mercado global das câmeras de segurança deve faturar US$ 36,89 bilhões em 2018 e chegar a US$ 68,34 bilhões até 2023, com crescimento médio anual de 13,1%, segundo a consultoria Markets and Markets. Apenas o segmento das câmeras em nuvem terá crescimento médio anual de 26,25%, passando de US$ 1,2 bilhão em 2017 para US$ 4 bilhões em 2022, segundo a Business Wire.

"A Nuvem Digital ampliou as possibilidades para o setor de vídeo monitoramento. A tecnologia trouxe mais agilidade, alta disponibilidade, eficiência e o mais importante, amplia a oferta de serviços aos usuários, trazendo novas fontes de receita para as empresas", afirma Renato Brandão gerente comercial do produto na Tecvoz.

A empresa é especialista no desenvolvimento de sistemas e produtos com foco no monitoramento e segurança digital e também aposta neste segmento para alavancar os negócios. A expectativa é que a solução seja responsável por 25% do aumento do faturamento da empresa em 2018.

"A Tecvoz desenvolveu uma tecnologia exclusiva que chamamos de Câmeras Inteligentes e com memórias internas garantimos redundância nas gravações das imagens, mesmo com uma possível queda ou interrupção na Internet por um período de até 24 horas. Assim que a conexão for reiniciada, as câmeras enviam os pacotes armazenados internamente para a Nuvem Digital", explica.

Com essa tecnologia, a empresa ampliou seu modelo de negócios. A Tecvoz comanda o projeto Vigilância Solidária, que integra as câmeras de moradores de um mesmo bairro e permite que eles acessem as imagens de qualquer dispositivo conectado à Internet. Também é parceira da Prefeitura de São Paulo e da Polícia Militar no projeto City Câmeras. "A sensação de insegurança nas maiores cidades do país faz com que o mercado continue em expansão. As soluções estão se beneficiando da tecnologia para oferecer serviços cada vez mais eficientes com um custo acessível, basta criar o modelo de negócios e ter foco", conclui.


SEGURANÇA. A tecnologia permite o compartilhamento de imagens de câmeras de segurança instaladas em vias públicas. — DIVULGAÇÃO

Participe e comente