Em 2015, a Yamaha mostrou a Motobot, proposta inédita de motocicleta com sistema de condução autônoma. Em relação ao protótipo japonês, a principal diferença do projeto da BMW é que o piloto manteve seu lugar (assim como o garupa) e pode guiar a moto. Na Motobot, os recursos eletrônicos foram inseridos na forma de um robô, que conduz a moto sozinho. O primeiro protótipo da Yamaha, que utiliza como base uma superesportiva R1, só conseguia andar em linha reta e, no máximo, a 100 km/h. No ano passado, a marca apresentou a versão 2.0, que disputou uma volta em um circuito contra o piloto Valentino Rossi e chegou a 200 km/h, mas não superou o italiano dono de nove títulos mundiais de motociclismo. /// Da Redação— DIVULGAÇÃO


Participe e comente