O crescimento de 12% do comércio eletrônico no Brasil apenas nos seis primeiros meses de 2018 é um indicativo de que o setor está realmente aquecido. O dado da WebShoopers, produzido pela Ebit Nielsen e divulgado em agosto pela Fecomercio, em São Paulo, anima, também, um outro setor que está diretamente ligado com às vendas pela internet: A Economia Criativa.

Uma pessoa pode aprender algo que nunca viu antes e, em pouco tempo, começar a faturar com isso. Essa é a simplificação do conceito de Economia Criativa, que nasceu na Austrália, nos anos 90. O termo vem ganhando cada vez mais os noticiários porque realmente tem impactado nas economias dos países onde está sendo aplicado.

A Conferência das Nações Unidas Sobre Comércio e Desenvolvimento apontou em 2010, através de um estudo, que o audiovisual faz parte dos setores que englobam a Economia Criativa. Ou seja: não demorou muito para o brasileiro perceber que dá para criar, aprender, ensinar e ganhar dinheiro ao mesmo tempo. Basta vender tudo pela internet: do produto ao conhecimento, exatamente tudo.

Por isso mesmo, as grandes empresas estão de olho nesse consumidor. A multinacional de origem japonesa, Canon do Brasil, por exemplo, criou uma espécie de Oscar da fotografia que também premia os destaques do setor de e-commerce. O evento se chama Canon Day e já está na 9ª edição. O site Bananafoto por exemplo, já ganhou dois desses prêmios. No ano passado foi o vencedor da categoria Inovação e Performance em E-commerce. E no último dia 7 de novembro, foi o grande vencedor do prêmio de Criatividade em Ações de E-commerce 2018.

Na cerimônia para entrega do prêmio em São Paulo, o Banana Foto mostrou porque vem se destacando no mercado. Parece até brincadeira, mas uns dos donos da empresa, levou o carro-chefe de vendas nas mãos, uma câmera Canon T6i e tentou, realmente, vender ela para todo mundo que estava ali. Até mesmo para um dos sócio-diretores da Canon que entregou o prêmio para o Bananafoto, Michihiko Motegi.

Especializado

Alexandre Poseddon, diretor de marketing do Bananafoto, revelou alguns segredos do sucesso da empresa. "O prêmio de criatividade foi dado porque a estamos inovando na forma de atender o cliente com um atendimento especializado. O cliente liga no Bananafoto e pergunta como faz pra tirar foto e a gente dá toda a atenção do mundo pra ele. Se o cliente pedir uma receita de bolo, nós também passamos. Se você tem dúvida, basta ligar pra gente. Então, estamos moldando as vendas de uma forma criativa".

Para Rafael Prado, dono da empresa Ô Rafa, especializada em criação de sites, o sucesso da Economia Criativa aliado às vendas pelo e-commerce pode ser considerado uma arma que faz apenas o bem. "Seria como se os produtos e serviços, que são frutos da Economia Criativa fossem balas, munições. Elas têm poder, mas precisam ser engatilhadas numa arma. Essa arma seria o e-commerce. Claro que de uma forma extremamente positiva. Seriam armas e balas contra toda e qualquer crise financeira. Um tipo de arma que realmente o povo precisa". ///Dino

Participe e comente