Líder na venda de motocicletas no Brasil, com cerca de 80% de participação do mercado, a Honda espera que, depois de leve queda em 2017, as vendas voltem a crescer em 2018 a um ritmo próximo de 5%. O aumento, no entanto, não deve resultar em novas contratações para a fábrica de motocicletas da empresa no Brasil, localizada em Manaus, no Amazonas.

"O nosso atual quadro de funcionários tem condições de absorver o crescimento de 5% que estamos esperando para o mercado no ano que vem", afirmou o presidente da montadora para a América do Sul, Issao Mizoguchi.

A fábrica de motocicletas da Honda em Manaus conta hoje com 5 mil trabalhadores, a metade dos 10 mil que a unidade chegou a empregar em 2011, no auge do setor. A expectativa é que a fábrica termine 2017 com a produção de 720 mil unidades, um pouco menos que a metade do volume alcançado em 2011, de cerca de 1,5 milhão de unidades.

Reação

Em outubro, as concessionárias venderam um total 68,2 mil motocicletas, alta de 9,1% em relação a outubro do ano passado e crescimento de 3,1% na comparação com setembro, de acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Contudo, o mercado interno ainda enfrenta retração no acumulado do ano, com o emplacamento de 860 mil unidades, o que corresponde a um recuo de 5,4% em relação a igual período de 2016.

As exportações também deram contribuição importante à produção. O número de motocicletas vendidas ao exterior atingiu 7,7 mil unidades em outubro, crescimento de 58% ante outubro de 2016.

Participe e comente