A velocidade não era tão alta, a chuva não estava tão forte e a curva nem era tão fechada. De repente, o carro "desobedeceu" o motorista e passou reto na curva. Felizmente, não havia outro veículo do lado ou vindo em sentido contrário, a área de escape era grande e a pista estava fechada para os testes de aquaplanagem do Jornal do Carro. Tudo acabou bem. Mas, na vida real, nem sempre o final é feliz.

Estamos em período de férias. As estradas ficam cheias e as chuvas de verão, normalmente volumosas, estão aí. Com isso, a possibilidade de aquaplanagem (ou hidroplanagem) aumenta. Esse fenômeno ocorre quando os pneus perdem contato com a pista ao passar sobre a água. Isso pode acontecer com qualquer tipo de veículo, independentemente do modelo, marca ou tipo de motor, e mesmo se os pneus forem novos.

Fizemos várias simulações no Campo de Provas da Bridgestone, em São Pedro, no interior de São Paulo. Lá, é possível "fazer chover", por meio de um sistema de irrigação, que permite controlar a quantidade de água sobre o asfalto. Além dos testes que comprovam o perigo da chuva associada à velocidade, mostramos os riscos de rodar com pneus descalibrados, o significado das inscrições nas laterais do pneu e o preço médio dos modelos mais comuns.

Participe e comente